Como abrir uma agência de viagens

Como abrir uma agência de viagens e entre nesse lucrativo mercado

9 dezembro, 2017 4:48 pm | Criado por | sem comentários | 1 mês

Pesquisa recente mostra que em 2016, estrangeiros deixaram US$ 6,024 bilhões no Brasil fazendo turismo, enquanto os brasileiros gastaram quase US$ 15 bilhões em viagens internacionais. O cenário, portanto, ainda é bom para quem quer empreender e descobrir como abrir uma agência de viagens pode ser uma excelente ideia.

Neste post, você vai saber como abrir uma agência de viagens e turismo. Sua estrutura, o processo de legalização, organização, necessidade de selos como o IATA e um pouco mais sobre o mercado que tende a ganhar fôlego em 2018.

Saiba mais: Conheça nossas dicas para criar nomes de empresas de turismo

Como abrir uma agência de viagens: tudo que você precisa saber

O mercado

Identificar oportunidades e reconhecer a concorrência são dois dos quesitos a serem descobertos ao estudar o mercado para avançar no seu negócios com menos riscos.

Por isso mesmo, é imprescindível justamente fazer uma pesquisa de mercado. Ela deve ser elaborada pelo empresário para estudar fatores como:

  • Concorrência
  • Público-alvo
  • Cultura (comportamento e hábitos)
  • Expectativas das pessoas em relação a uma agência de viagens.
  • Preços praticados por agências concorrentes
  • Produtos e serviços a serem oferecidos pela agência

A pesquisa, portanto, fornecerá informações necessárias para prever dificuldades, apontará o público predominante e também poderá antever novas ideias de negócios abrindo espaço para oportunidades para driblar crises e desenvolver ofertas mais próximas das demandas do mercado.

A estratégia para conhecer o mercado de turismo também é traçada com intuito de estar longe das ameaças de mercado e mais perto das oportunidades de negócios. Veja quais são elas:

Ameaças

  • Serviços online que dispensam a intermediação de uma agência, como hotéis companhias aéreas, sites para compras de bilhetes turísticos, entre outros
  • Carga tributária alta ao legalizar o negócio
  • Taxa de câmbio oscilante
  • Falta de qualificação profissional para a área

Oportunidades

  • Investimento no calendário turístico no Brasil, aumentando o incentivo para viagens nacionais
  • Mudanças de hábitos da população que valoriza mais a experiência de viajar do que adquirir bens de consumo
  • Promoções e ofertas de parcelamento para viagens nacionais e internacionais

Estrutura e equipamentos

É necessário um espaço mínimo de 15m² para receber 2 funcionários e armazenar materiais de divulgação, além de mesa, cadeira, computador e impressora.

A agência pode ser instalada em sala comercial com 1 banheiro, ter boa iluminação e decoração que inspire viagens. Na prática, seguem algumas ideias de equipamentos para o espaço.

Equipamentos:

  • Mesa com gaveta
  • Sofá para atendimento em espera
  • Computador
  • Impressora com scanner
  • Armários
  • Telefone
  • Cadeira
  • Calculadora
  • Mapa
  • Roteiros turísticos
  • Cartazes com anúncios de viagens
  • Software para automação. Útil para emissão de boletos e passagens e criação de roteiros. Os mais usados são Amadeus e Reserve.

Não há uma regra que exclua itens em uma agência, mas é necessário bom senso e conhecer bem o segmento de atuação para não deixar faltar nada na rotina de trabalho.

Setores do turismo

O setor de turismo é vasto, traz opções variadas de produtos e serviços no mercado. O empreendedor pode decidir trabalhar com um mix deles, mas é preciso focar para se tornar referência no segmento escolhido e atingir o público certo.

Uma agência de viagem pode atuar nos seguintes ramos:

  • Promoção de excursões, passeios, viagens e faturar através da venda comissionada ou intermediação de passagens individuais ou coletivas
  • Recepção e transferência de turistas
  • Operação de viagens e excursões individuais ou coletivas, compreendendo a organização, contratação e execução de programas, roteiros e itinerários
  • Representação de empresas transportadoras, empresas de hospedagem outras prestadoras de serviços turísticos
  • Obtenção e legalização de documentos para viajantes
  • Reserva e venda, mediante comissionamento, de ingressos para espetáculos públicos, artísticos, esportivos, culturais e outros
  • Transporte turístico de superfície
  • Agenciamento de carga
  • Prestação de serviços para congressos, convenções, feiras e eventos similares
  • Operações de câmbio manual, de acordo com as instruções relacionadas ao assunto pelo Banco Central do Brasil

Organização de uma agência de viagens

A agência pode oferecer serviços de apoio ao turista antes e também durante uma viagem. Neste contexto, são 4 tipos de turismos que podem ser explorados:

  • Turismo de lazer
  • Turismo de eventos
  • Turismo de negócios
  • Turismo gastronômico

Equipe

Uma agência de pequeno porte atende com um agente de viagem e um gerente, função ocupada geralmente pelo dono. Seguem suas atribuições:

Agente de Viagens

  • Experiência técnica de agenciamento: comunicação, comercialização e venda de produtos da agência
  • Imprescindível ter domínio de línguas estrangeiras

Gerente

  • Domínio de línguas estrangeiras
  • Informar-se das tendências do mercado
  • Foco no planejamento e coordenação do negócio e de funcionários
  • Domínio em finanças
  • Conhecimento em tecnologia e sistemas para gerenciar a agência
  • Focado em atingir metas

Legalização: é preciso IATA para abrir agência de viagem?

Como abrir uma agência de viagens requer o mesmo processo legal de empresas de maior porte, o empresário deverá fazer a legalização com ajuda do seu contador, sabendo que será preciso toda a documentação exigida por órgãos do município e governo federal.

Portanto, após escolher um nome, patentear a marca no Instituto de Propriedade Industrial (INPI) é hora de colocar a empresa no mercado, a partir de um CNPJ.

Não tem como abrir uma agência de viagens sem obter o IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo).

Os empreendedores devem se cadastrar na instituição e tornar-se um membro. Um dos benefícios ao associar-se ao IATA é obter certificação para a venda passagens em nome de companhias aéreas, entre outros serviços. Se essa for a ideia, entre no site do IATA para ver os pré-requisitos e custos da associação.

Segue o passo a passo de como abrir uma agência de viagens e turismo e se formalizar:

  • Solicitar CNPJ na Receita Federal
  • Solicitar Inscrição Estadual na Receita Federal
  • Solicitar o alvará de licença e Registro na Secretaria Municipal de Fazenda da cidade onde a agência será instalada
  • Cadastrar a empresa no INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social; Divisão de Matrículas – INSS)

Custos

Os custos vão depender basicamente do porte da agência, quantidade de funcionários e das contas fixas a pagar. Para ter uma ideia, seguem alguns itens que farão parte da rotina de qualquer agência de viagem de turismo.

  • Salários e encargos
  • Tributos, impostos, contribuições e taxas
  • Aluguel, taxa de condomínio, segurança
  • Água, Luz, Telefone e acesso à internet
  • Produtos para higiene e limpeza da empresa e funcionários
  • Recursos para manutenções da loja
  • Contabilidade
  • Propaganda e Publicidade da empresa
  • Despesas com vendas

Investimentos

Saber como abrir uma agência de viagens também envolve estar a par do valor desse investimento. Levando em consideração a lista de equipamentos (computador, armários, mesa, cadeira e outros itens descritos acima) e também o custo de capital, a quantia pode variar entre R$ 40 mil a R$ 50 mil.

Divulgação

Divulgação é a alma do negócio. De nada vale aprender como abrir uma agência de viagens e turismo sem que os serviços sejam conhecidos do público. Portanto, a ideia é reservar parte do investimento para publicidade para divulgação.

Há várias formas eficientes de divulgar uma agência de viagens de pequeno porte (até 10 funcionários), por exemplo:

  • Panfletos e flyers
  • Anúncios na internet (redes sociais e Google)
  • Uso de banners e cartazes em frente de loja
  • Patrocínio ou apoio a um evento, que permita visibilidade da sua marca e divulgação dos serviços.

Quer criar materiais de divulgação, como folders e panfletos para sua agência? Pode contar com a We Do Logos!

Veja também: Como encantar seus clientes com um belo folder de turismo

We Do Logos

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.