cartão de visita arquitetura

Cartão de visita de arquitetura: a fachada de seu negócio

21 agosto, 2017 10:30 pm | Criado por | sem comentários | 3 meses

Por mais que estejamos cada vez mais integrados pela internet e nos comunicando de forma virtual, um bom cartão de visitas ainda é uma excelente maneira de quebrar o gelo no início de uma reunião.

Em feiras e eventos então, nada mais prático para espalhar sua marca e seu talento do que distribuir seu cartão de visita de arquitetura para cada novo contato que faz ou pessoa que conhece.

Por fim, não custa nada ter alguns sempre à mão para oferecer para potenciais clientes além, é claro, de deixar com os clientes atuais, para que possam entrar em contato com você com mais facilidade.

Veja, a seguir, como fazer um cartão de visita para escritório de arquitetura.

Como criar cartão de visita de arquitetura em 5 passos

Texto, dimensões, gramatura, tipo de papel e acabamento: veja como definir cada um desses aspectos:

1- Decida o que vai escrever

Menos é mais, como dizia um famoso mestre da arquitetura, Mies van der Rohe.

Pense da mesma forma ao desenvolver o texto de seu cartão de visita de arquitetura.

Recomendamos apenas uns poucos elementos:

  • Nome e logo
  • Nome do profissional
  • Cargo do profissional
  • Endereço, fone, site e mídias sociais

Eventualmente, pode ser necessário acrescentar a especialidade do escritório, logo abaixo do nome, algo como: design de interiores, ou paisagismo, conforme a atuação de sua empresa.

Leve em consideração que é possível usar frente e verso do cartão (a impressão é mais cara). Assim, um dos lados pode ser reservado somente para o logo de arquitetura e o nome; ou mesmo para um desenho artístico de autoria do próprio escritório, um croqui ou esboço de projeto, etc.

Imagens em fotos não costumam dar uma boa impressão, confundindo seu ramo de atuação com imobiliárias.

2- Escolha o papel

Ao criar um cartão de visita para arquiteto, a escolha do papel é fundamental.

O mais usado é o couché, com acabamento fosco. O couché com brilho tem um aspecto mais promocional e não é recomendado.

Além desta opção, alguns escritórios costumam usar papéis artesanais, feitos de fibras naturais ou de papel reciclado. Apesar de poderem ficar muito bonitos, esses modelos de cartões de visitas para arquitetos são bem mais caros e há uma certa dificuldade em usar cores sobre eles.

Por fim, o famoso papel vergê também é uma opção de aspecto mais tradicional e clássico.

3- Defina a gramatura

A gramatura do cartão de visitas é a relação de seu peso com a metragem quadrada. Quanto mais pesado, mais rígido o cartão.

É importante definir uma gramatura que torne seu cartão de visita para arquiteto mais resistente. Um cartão mole passa uma sensação de poucos recursos, além de se desgastar com facilidade.

A gramatura mais recomendada é acima de 230 g/m2, muitos optando até mesmo por 300 g/m2.

4- Escolha o tamanho

O tamanho padrão é 5 cm x 9 cm, mas nada impede de variar isso, usando toda sua criatividade na hora de criar cartões de visita de arquitetura.

Cartões quadrados, 5 cm X 5 cm, podem ficar bem interessantes.

Apenas tome cuidados para não fazer um cartão de visita de arquiteto muito pequeno, que se perca com facilidade; ou muito grande, que acabe tendo que ser dobrado para pôr no bolso e se torne um estorvo para seus clientes.

5- Escolha o acabamento

Existe um tipo de acabamento muito usado e refinado, chamado de “laminação fosca”, que dará um aspecto acetinado ao seu cartão de visita de arquiteto, além de uma leve proteção contra a água.

Outro acabamento com um efeito interessante é o “Verniz UV de Reserva”. Trata-se de se delimitar uma área, geralmente o logo, o nome do escritório de arquitetura, ou outro detalhe, sobre o qual se aplica este verniz, que confere um leve brilho diferenciado a essas áreas reservadas, destacando-as.

Independente do papel, do que escrever ou do acabamento de seu cartão de visita de arquitetura, o importante é que ele mostre toda criatividade e talento que sua empresa tem a oferecer ao mercado.

Capriche nos detalhes, da mesma maneira que faz em seus projetos.

Conheça mais sobre a We Do Logos:

We Do Logos

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.