inovação nas organizações

Entenda a inovação nas organizações para evoluir constantemente

16 outubro, 2017 8:07 pm | Criado por | sem comentários | 1 mês

O conceito de inovação nas organizações muitas vezes é tido como um termo abstrato. É comum se deparar com empresários pensando que inovação são somente grandes mudanças ou invenções que transformaram completamente o negócio do dia para a noite.

Porém, a inovação nas organizações pode e deve receber as definições adequadas, se encaixando à realidade das empresas e contribuindo com o desenvolvimento das corporações e de seus profissionais. Manter um ambiente inovador em sua empresa pode ser um desafio, porém, também é fundamental, gerando vantagens competitivas em mercados cada vez mais concorridos.

É importante ressaltar que nem toda modificação de trabalho pode ser considerada de fato uma inovação das organizações.

Para ser compreendida como inovação, essa transformação precisa gerar resultados positivos, como a criação de vantagem frente à concorrência, transformando sua precificação, aumentando a participação da empresa no mercado, dentre outros benefícios que podem ser qualificados e quantificados.

Saiba mais: A era da inovação nas empresas com os intraempreendedores

Inovação nas organizações: confira alguns tipos

Além de fundamentais para as empresas, as inovações podem ser de vários tipos, confira as modalidades existentes e suas diferenças.

Inovação de produto

A inovação nas organizações que fabricam produtos pode surgir na transformação do item produzido. O que parece uma modificação muito simples de embalagem, por exemplo, pode ter um impacto significativo em toda a empresa.

Outra forma de inovar em produto é mudar a maneira como ele é percebido pelos consumidores sem que tenha existido, de fato, qualquer alteração na mercadoria. Isso pode ser realizado, por exemplo, através de comparações do produto que sua empresa produz com os itens da concorrência.

Veja também: Por que você deve trabalhar na inovação de produtos?

Inovação em modelo de negócio

Nunca é tarde para realizar pequenas ou grandes transformações em um modelo de negócio e essa também é uma forma de realizar uma inovação nas organizações, através do processo de mudança organizacional.

Esse formato de inovação pode ser o mais abstrato, pois não significa alterações no produto ou serviço ofertado nem em seu processo produtivo, mas sim em como ele é ofertado no mercado.

Por exemplo, clubes de locações de produtos, que podem ir desde carros à artigos femininos como bolsas ou vestidos, em vez da venda desses itens diretamente, é uma forma de inovação nas organizações através do modelo de negócio.

Leia mais:  Inovação em serviços: clientes sempre satisfeitos

Inovação de processo

Inovação nas organizações significa também mudar os procedimentos de trabalho. A inovação de processo se aplica à etapas de fabricação de um produto ou da realização de um serviço, sem que exista alguma alteração no que é ofertado pela empresa.

O objetivo desse tipo de inovação normalmente é a otimização: aumentar a produção reduzindo custos.

Confira: O caminho do sucesso: a importância da inovação em processos

Inovação Incremental

Inovar constantemente é também sinônimo de melhorias contínuas, que podem ser feitas diariamente, com pequenos ou grandes avanços, sejam em produtos ou processos, mas que podem ser extremamente significativas para o negócio como um todo.

As empresas de SaaS – Software as a Service – são um exemplo, já que constantemente realizam updates em seus sistemas.

Veja mais:  Confira como diferentes tipos de inovação podem ajudar nos negócios

Por que inovar nas organizações?

Em meio a uma constante evolução da globalização, que torna a comunicação e a aquisição de conhecimento cada vez mais rápida, dinâmica e, consequentemente difícil de acompanhar, inovar frente à tantas ideias que surgem diariamente pode parecer um enorme desafio.

Mas, através de técnicas como o gerenciamento do cenário atual das empresas, é possível criar ambientes propícios para inovar nas organizações, criando um futuro próspero.

A flexibilidade nas empresas é a força motriz das inovações. Equipes e líderes precisam estar abertos às mudanças e aprender à acompanhá-las, aprendendo constantemente e fomentando a criatividade.

A importância de medir e mapear as inovações

Mensurar os resultados das inovações realizadas, mesmo pequenas, como a troca de papéis por documentos digitais no processo burocrático – gerando economia, já que existiu uma redução no consumo de sulfites – é uma das medidas que garante a consolidação de um ambiente inovador.

Ao entender como uma pequena inovação pode ser benéfica para todo o contexto, inovar nas organizações torna-se algo natural, que pode ocorrer todos os dias em todos os setores.

Esse mapeamento das inovações é essencial para diagnosticar quais dessas transformações foram mais importantes para a empresa e dessa forma é possível entender qual caminho seguir para inovar nas organizações de forma cada vez mais assertiva.

calculo de roi

Se economizar em material de escritório foi benéfico para o setor de Recursos Humanos, como essa mesma medida pode ser aplicada ao departamento de Marketing? Como expandir uma inovação e transformá-la em uma cultura da empresa? E se o caminho para o sucesso do seu negócio estiver em levar para o ambiente digital todos os seus processos burocráticos?

Se o líder responsável pelo setor de Recursos Humanos não tivesse realizado essa inovação em seu setor, talvez o CEO da empresa jamais enxergasse que essa inovação seria o grande salto para o negócio como o todo.

Valorizar e apoiar as inovações contínuas é a melhor forma de evoluir e manter sua empresa em ascensão no mercado.

Confira também: Inovação em modelos de negócios: resultados mesmo na crise

We Do Logos

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.