Modelo de negócio canvas

Modelo de Negócio Canvas: Tudo para planejar sua empresa

27 junho, 2016 9:36 am | Criado por | sem comentários | 12 meses

O Modelo de Negócio Canvas ou Business Model Canvas, em inglês, é uma metodologia prática e intuitiva de modelagem estratégica de negócios que pode ser usada tanto em startups como em empresas já em operação.

Chama-se Canvas (que significa tela em inglês) porque a metodologia desenvolvida pelo suíço Alexander Osterwalder utiliza uma tela, ou quadro, se preferir, dividido em retângulos onde devem ser respondidos diversos questionamentos sobre a empresa. Depois de preenchidos e analisados em conjunto, eles ajudarão a moldar seu negócio de uma forma integrada e sustentável.

Saiba mais: 18 erros que matam startups e outros infográficos

Muito usada por startups, esta ferramenta estratégica tem a vantagem de poder ser utilizada em grupo, em verdadeiras sessões de brainstorming em que todos dão sugestões e complementam as opiniões um do outro até se estruturarem e integrarem todas as informações necessárias, dentro de um consenso que leva a equipe a conhecer cada detalhe da operação e se localizar na organização, assim como seus objetivos e necessidades.

Dica: quer abrir sua empresa? Então você precisa conhecer o Guru PME.

Nesta postagem, vamos mostrar como usar esta metodologia tão ágil e efetiva, além de passar para você uma ferramenta online do Sebrae para usar o Modelo de Negócio Canvas de forma bastante ágil e um curso da FazInova detalhando como usar o Business Model Canvas.

Veja também: 2 vídeos de empreendedorismo para quem quer abrir um negócio

Entenda melhor o que é o Canvas

Um modelo de negócio é excelente para auxiliar a empresa e seus colaboradores a trabalharem de maneira lógica, sempre partindo dos princípios da empresa, sejam eles valores econômicos, sociais ou até mesmo relacionados ao meio ambiente.

A estrutura do Canvas permite uma melhor visualização da empresa para os seus colaboradores e também empreendedores. O que significa que o trabalho será desenvolvido de maneira mais crítica e dentro dos padrões exigidos pela organização. Outra grande vantagem é que as informações são inseridas pela equipe, dessa forma, cada um poderá proporcionar uma visão diferente, que, junto com as outras informações, auxilia na elaboração de estratégias.

Por conter uma estrutura em blocos, o Canvas é ideal para transmitir uma visão flexível da organização da empresa. Facilita o processo criativo e inovador, além de encontrar soluções práticas, eficientes e viáveis para os problemas. O modelo também permite traçar o melhor caminho para atingir as metas e os objetivos.

Saiba como usar o Modelo de Negócio Canvas

O ideal é reunir um grupo de mais ou menos 6 pessoas e colocar o quadro ampliado na parede para que sejam completas as informações com a ajuda de todos. Muitas vezes os grupos usam post-its, evitando rabiscar todo o Canvas.

Em vez disso, as sugestões e respostas para cada pergunta são colocadas e retiradas ou mudadas de lugar conforme o pensamento estratégico da empresa vai se aperfeiçoando na cabeça dos participantes.

O modelo de negócio Canvas é flexível, o que significa que poderá acompanhar o crescimento da empresa e as modificações que poderão acontecer ao longo do tempo. Por permitir novos insights, a inserção de novas informações e retirada de antigas, o Canvas torna-se um método extremamente útil para os avanços de qualquer organização.

Veja mais: 4 histórias inspiradoras de empreendedorismo em entrevistas

Descubra os 9 campos do Modelo de Negócio Canvas

Como já foi mencionado, o Modelo de Negócios Canvas é dividido em blocos, sendo 9 no total. Em cada bloco são inseridas as informações pertinentes a uma determina etapa da organização. A forma como as informações e os blocos estão dispostos no quadro é que facilita todo o processo de utilização desse modelo.

Vale a pena estudar com calma cada uma das etapas, de modo que você acerte em cheio na hora de estruturar o seu Canvas e entenda melhor os fatores que gostaria de avaliar dentro do seu negócio ou projeto.

Para cada um dos campos devem ser respondidas uma série de perguntas, confira:

1 – Parceiros estratégicos

  • quem são nossos parceiros chave?
  • quem são nossos fornecedores chave?
  • que recursos chave nós obtemos dos parceiros?
  • que atividades chave os parceiros realizam?
  • o que pode motivar as parcerias?
  • otimização e economia
  • redução de riscos e incertezas
  • acesso a determinados recursos e atividades

2 – Atividades chave

  • Que atividades chave requerem nossas propostas de valor?
  • Canais de distribuição?
  • Reclamações com clientes?
  • Fontes de renda?

Categorias:

  • Produção
  • Solução de problemas
  • Plataformas / Network

3 – Recursos chave

  • Que recursos chave nossas propostas de valor requerem?
  • Nossos canais de distribuição?
  • As relações com os clientes?
  • Os fluxos de receitas?

Tipos de recursos:

  • Físicos
  • Intelectuais (marcas, patentes, informações etc.)
  • Humanos
  • Financeiros

4 – Estrutura de Custos

  • Quais são os custos mais importantes inerentes ao nosso modelo de negócio?
  • Quais são os recursos chave mais caros?
  • Quais são as atividades chave mais caras?

A empresa é mais:

  • Voltada para os custos (estrutura de custos enxuta, preço baixo, máxima automação, alta terceirização)
  • Voltada para o valor (focada em criação de valor, preço premium)

Os tipos de custos:

  • Custos fixos (salários, aluguéis, etc.)
  • Custos variáveis
  • Economia de escala
  • Economia de escopo

5 – Relações com clientes

  • Que tipo de relação cada um de nossos segmentos de clientes espera que estabeleçamos e mantenhamos com eles?
  • Quais delas nós já estabelecemos?
  • Como se integram ao restante do modelo de negócio?
  • Quanto custa para a empresa?

Exemplos

  • Assistência personalizada
  • Autosserviço
  • Serviços automatizados
  • Comunidades
  • Cocriação

6 – Canais

  • Por meio de que canais nós queremos chegar aos segmentos de clientes?
  • Como estamos chegando a eles?
  • Nossos canais estão integrados?
  • Quais funcionam melhor?
  • Quais são os mais eficientes em termos de custos?
  • Que canais nosso segmento prefere?
  • Como esses canais se integram às atividades dos clientes?

7 – Segmentos de mercado

  • Para quem estamos criando valor?
  • Quem são nossos clientes mais importantes?

Categorias

  • Mercado de massa
  • Mercado de nicho
  • Segmentado
  • Diversificado
  • Multiplataforma
  • Mercado de massa

8 – Fontes de receita

  • Que valor nossos clientes estão dispostos a pagar?
  • Quanto nossos clientes pagam hoje?
  • Como pagam?
  • Como prefeririam pagar?
  • Em que medida cada fonte de receita contribui para a receita total?

Tipos de receitas

  • Venda de ativos
  • Tarifa por uso
  • Taxa de assinatura
  • Aluguel / leasing / empréstimo
  • Licenciamento
  • Intermediação
  • Publicidade
  • Por volume

Preços dinâmicos

  • Negociação
  • Gerenciamento de receitas
  • Em tempo real

9- Proposta de valor

  • Que valor nós entregamos ao cliente?
  • Qual problema do cliente nós ajudamos a resolver?
  • Que pacotes de produtos e serviços estamos oferecendo a cada segmento de clientes?
  • Que necessidades do cliente satisfazemos?

Características:

  • Novidade
  • Desempenho
  • Customização
  • “Fazer acontecer”
  • Design
  • Marca / status
  • Preço
  • Redução de custos
  • Redução do risco
  • Acessibilidade
  • Conveniência / facilidade de uso

FONTE.

Confira: 3 vídeos de empreendedorismo que estão bombando na internet!

Olhando assim, fora de contexto, pode parecer complicado. Mas o trabalho deve ser em grupo e contínuo. Para ajudar você a entender melhor como usar o Modelo de Negócio Canvas, encontramos este curso gratuito na internet.

Depois de se cadastrar, olhe para a parte superior direita da tela e clique no ícone de um livrinho, aí você poderá acessar o curso de Modelo de Negócio Canvas gratuitamente. Dê uma olhada neste filme com a apresentação do curso:

E tem mais: o Sebrae desenvolveu uma ferramenta online para ajudar você a moldar o seu negócio com o Canvas, é muito prático, veja: Sebrae Canvas

Aprenda algumas dicas para usar o Modelo de Negócio Canvas

Quando colocar um Modelo de Negócio Canvas em prática, você perceberá que sua equipe aumentará o seu potencial e estará caminhando lado a lado com seus valores.

Inserir o modelo em uma empresa já em funcionamento pode ser um desafio, mas seus colaboradores precisam estar cientes de que ele será útil no dia a dia. Já uma empresa que está iniciando poderá ver o crescimento do negócio e o reforço de seu time estratégico e operacional junto ao avanço do Canvas.

Com o uso de uma boa prática de brainstorming, você e sua equipe serão capazes de conseguir os insights adequados para dar início ao projeto visual do seu Canvas. Afinal, o brainstorm é uma reunião bastante aberta a ideias, na qual cada colaborador fornecerá propostas e observações para melhorar o desempenho da empresa.

A grande vantagem é que muitas vezes os próprios donos não têm a mesma visão que seus colaboradores e, com um brainstorming, poderão ver o seu negócio a partir de outra perspectiva, analisar novas ideias e elaborar um modelo de negócio Canvas muito mais bem estruturado e preenchido.

Manter-se acessível para as opiniões e comentários de quem trabalha com você pode ser um incrível diferencial para construir uma ferramenta mais eficiente. E, com isso, edificar uma empresa melhor!

O que achou da ferramenta de Modelo de Negócios Canvas? Se seu modelo de negócio precisar do desenvolvimento de logotiposite ou outros materiais de comunicação, pode contar com a We Do Logos, a maior plataforma de criação da América Latina!

Algumas dicas de negócio são extremamente úteis para elaborar estratégias eficientes para sua empresa. Se você quer expandir e crescer, acompanhe nossas redes sociais, lá você poderá ver notícias e excelentes dicas para a sua empresa. Basta seguir a We Do Logos no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.

Comentários estão fechados.