inovação e competitividade

Design como fonte de inovação e competitividade

27 janeiro, 2016 2:24 pm | Criado por | sem comentários | 2 anos

O design ocupou um lugar de grande relevância na história mundial recente, sendo um dos destaques do século XX em termos de inovação e competitividade. Seus conceitos encontraram aplicações diversas e se espalharam por inúmeros ramos de atuação.

Em alguns setores, o design tem um maior valor estratégico — logomarcas, embalagens, moda e segmentação cultural são fatores determinantes para a decisão de compra, em especial quando se trata de tecnologias maduras.

No Brasil, os gastos anuais em design podem ser da ordem de 1,6% da receita operacional bruta de uma empresa, e são diversas as maneiras pelas quais investimentos em design podem gerar ganhos de inovação e competitividade.

Alterações simples no desenho de um objeto podem resultar em reduções de custos, vantagens logísticas e maior valor agregado — seja pelo aumento da qualidade, quanto pela diferenciação e melhor adequação aos segmentos de mercado mais relevantes.

Isso também se dá nos processos da comunicação visual de uma empresa, onde a inovação e a competitividade acontecem de maneira ainda mais acirrada, na função de gerar reconhecimento e lucratividade. Para saber mais sobre como o design é importante para as empresas, em diversos sentidos, continue a leitura!

A relação entre design, inovação e competitividade

Em alguns mercados, vantagens de custo ou mesmo de qualidade são elementos secundários na determinação da inovação e da competitividade. Muitas vezes,  para ser escolhidos pelos consumidores, os produtos devem, antes de tudo, ser atraentes — e construir uma identidade, conectando-se a seu público-alvo.

influencia do design no processo de compras

Há, até mesmo, circunstâncias em que, para obter certas características imateriais, uma expressiva parte dos consumidores se mostra disposta a pagar um pouco mais e a se conformar com um nível de conforto mais baixo.

Enquanto isso, em setores da economia mais ligados à moda, esse esforço se mostra recorrente e demanda investimentos elevados. Para manter seus produtos atraentes, as empresas devem acompanhar as tendências cíclicas e temporais, geralmente ligadas às estações do ano e às complexas dinâmicas culturais que regem os gostos e as preferências.

A meta é desenhar um produto vencedor — ou seja, um produto que, disposto ao lado das alternativas disponíveis no mercado, seja escolhido pelo consumidor. É por meio da marca que os consumidores registram cada experiência de compra, o que permite que seu consumo futuro se direcione rapidamente ao fornecedor que se revelou capaz de atender suas preferências.

Mas tais esforços envolvem investimentos expressivos, exigem planejamento e só fazem sentido quando os benefícios superam os custos e são reconhecidos pelo mercado — ou seja, quando podem se refletir nos preços cobrados. Sem profissionalização e planejamento técnico, portanto, o design improvisado e meramente instintivo pode levar a inúmeras ineficiências.

É importante destacar que o design como ferramenta de inovação e competitividade é encontrado em 40% das pequenas e médias empresas europeias — já no Brasil, a porcentagem não passa de 10%. E, enquanto 67% das empresas inglesas consideram o design uma ferramenta estratégica indispensável, no Brasil, seu uso é praticamente uma exceção — e, por isso mesmo, a estratégia representa um diferencial enorme.

Inovação e competitividade em favor das vendas

A empresa que opta por investir em design visando inovação e competitividade consegue alcançar resultados diferenciados no mercado. Os consumidores estão cada vez mais atentos a esses fatores, e a compra não se limita mais a um produto específico — mas, sim, a toda a ideia por trás daquele item e daquela experiência de compra.

como uma marca forte te ajuda a vender mais

Essas mudanças no comportamento dos consumidores têm exigido que as empresas busquem novas formas de fidelizar seus clientes — oferecendo não apenas produtos, mas experiências positivas e enriquecedoras.

Para esse novo tipo de consumo ser, de fato, satisfatório para o cliente, o design se torna uma característica fundamental — indo para além do produto em si e incluindo o ambiente no qual ele é adquirido, a embalagem e as sensações que são despertadas nesse processo. A empresa que se limita a entregar apenas um produto corre o risco de perder clientes e não acompanhar a dinâmica do novo público.

As companhias têm investido em ideias, e o design personalizado que reflete os valores da empresa tem se mostrado um diferencial para consumidores que não querem consumir apenas produtos.  Assim, o contexto embalagem + produto que agrega valor é aquele que chama mais a atenção do consumidor na prateleira da loja — e mesmo que este tiver um custo maior, ao oferecer uma experiência mais prazerosa, terá vantagens frente ao produto comum.

Como agregar valor pelo design estratégico

Se as novas tendências de consumo indicam que o valor agregado ao produto está relacionado à estética visual dele, como as empresas podem adicionar esse valor aos seus produtos?

São diversas estratégias que podem ser desenvolvidas visando aumentar o valor agregado ao produto por meio da imagem. Veja algumas dicas sobre o que fazer:

  • Inicialmente, a empresa deve definir qual é a própria identidade visual, quais cores a representam e qual estética adotou para sua imagem e produtos;
  • Todas as campanhas da empresa — marketing, comunicação interna, vendas, site — devem seguir a mesma identidade visual para que os colaboradores e o público se identifiquem com ela;
  • Os produtos devem ter a mesma identidade visual da empresa, para que seja possível despertar uma sensação de reconhecimento com o público.

A integração das campanhas é essencial para que a identidade visual da empresa seja tão conhecida do público como a própria logomarca.

É importante ressaltar, entretanto, que a criação da identidade visual da empresa deverá estar em harmonia com as ideias da própria companhia, que poderá optar por um design mais despojado, sério, brincalhão, rústico, clássico, etc., levando em consideração os valores da empresa.

O design estratégico no aumento da competitividade

A inovação e competitividade de uma empresa estão intrinsecamente relacionadas com o design estratégico adotado por ela — e deverão influenciar todos os setores em busca de coerência e de uma identidade mais forte. Para desenvolver a estratégia visual mais benéfica para o seu negócio, invista em profissionais capacitados, pesquisas de opinião, simbologia das cores e outros recursos.

O design será o responsável por diferenciar e destacar seus produtos frente aos dos concorrentes — e, quando desenvolvido levando em consideração pesquisas de opinião do público-alvo e testes de A/B para identificar a melhor aceitação e conforto visual, há grandes chances de que seu design se torne seu primeiro diferencial de mercado.

Investindo em design, inovação e competitividade

Faça com que o design de sua empresa e de seus produtos sejam um fator de competitividade presente em seus negócios. Conte com a ajuda de profissionais para fazer sua comunicação visual e, assim, abra grandes vantagens competitivas através de um design atraente e impactante!

quanto-custa-um-logo

Utilize os serviços de uma plataforma de concorrência criativa, que coloca em concorrência vários profissionais para realizar um projeto. No caso da criação de uma identidade institucional, por exemplo, vários redatores e designers enviarão propostas para seu projeto, de acordo com suas exigências.

De forma 100% online, você pode interagir com eles para aprimorar as ideias e, depois de um certo tempo — em média, entre quatro a catorze dias —, você pode escolher a identidade visual de que mais gostou, dentro de dezenas ou, até mesmo, centenas de propostas enviadas!

Gostou da ideia? A We Do Logos conta com mais de 80 mil designers e redatores cadastrados prontos para atender a empresários e donos de empresa! Para se ter uma vantagem competitiva, é necessário se destacar em meio a seus concorrentes — e, no mundo agressivo dos negócios, especialmente na economia de hoje, todas as vantagens contam na hora de consolidar sua empresa no topo.

Quer saber mais sobre a importância da inovação e competitividade da identidade visual para o sucesso da sua marca? Então, confira nosso post sobre a importância da identidade visual para bombar seu negócio!

Leia um pouco mais para entender melhor todos os benefícios de criar um projeto de sucesso na We Do Logos:

Para se ter uma vantagem competitiva em uma empresa, é necessário criar uma vantagem sobre seus concorrentes e no mundo agressivo dos negócios, especialmente na economia de hoje, todas as vantagens contam na hora de estabelecer o seu negócio no topo. Veja as 10 principais vantagens competitivas de uma empresa.

inovação e competitividade

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.

Comentários estão fechados.