objetivos e metas de uma empresa

Como definir os objetivos e metas de uma empresa?

8 setembro, 2017 7:26 pm | Criado por | sem comentários | 3 meses

Uma coisa é certa: não há como definir os objetivos e metas de uma empresa sem que se faça um estudo cuidadoso de cenários, do mercado e da empresa em si, e se crie um planejamento estratégico.

Simplesmente definir as mestas e objetivos de uma empresa sem saber exatamente o porquê, não faz o menor sentido e deve ser evitado a qualquer custo. É por isso que nesta postagem vamos explicar como usar uma das mais consagradas ferramentas de planejamento estratégico, a matriz SWOT.

Confira sua metodologia em detalhes e aplique em seu negócio para poder definir com sucesso os objetivos e metas de uma empresa.

Saiba mais: Como atingir metas de vendas: 4 dicas para alcançar seus objetivos

Defina os objetivos e metas de uma empresa com a análise SWOT

SWOT, em inglês, é uma sigla para as seguintes palavras, cuja tradução já indicamos abaixo:

  • Strengths = forças
  • Weaknesses = fraquezas
  • Opportunities = oportunidades
  • Threats = ameaças

É por meio do estudo destes 4 fatores que a administração estratégica corporativa consegue determinar os objetivos e metas de uma empresa. Veja, a seguir, como fazer isso.

Veja também: A diferença de meta e objetivo e como atingir os dois!

Ambiente Interno: Forças e Fraquezas

Antes  de definir objetivos e metas de uma empresa, é fundamental entender sua ambiente interno, isto é, aquele sobre o qual seus administradores têm pleno controle.

Assim, as forças de uma empresa podem ser dos mais diversos tipos, tais como a qualidade de seus equipamentos; o ótimo nível de atendimento aos clientes; a localização (no caso de hotéis e restaurantes, por exemplo); a proximidade com os centros de consumo e distribuição, assim como com das fontes de matérias-primas; o alto nível de competência de seus diretores; o excelente treinamento de seus empregados, entre muitos outros.

Assim, mapeie aquelas características em que sua empresa é forte.

Da mesma forma, analise suas fraquezas, tudo aquilo em que, ao contrário do que foi detalhado acima, sua empresa não se sai muito bem.

Por exemplo: uma fábrica de sucos pode ter entre suas fraquezas o fato da marca não ser tão conhecida, mas entre suas forças pode constar o fato do sabor ser reconhecidamente superior, conforme comprovado em testes.

Confira também: Inovação em modelos de negócios: resultados mesmo na crise

Ambiente Externo: Oportunidades e Ameaças

Outro ponto fundamental que deve ser analisado antes de qualquer tentativa de definir as metas e objetivos de uma empresa são os fatores sobre os quais a empresa não tem poder de controle, o chamado ambiente externo.

Dentre estes elementos externos incontroláveis, costuma-se usar a sigla PESTAL para defini-los:

  • Política: decisões políticas, tanto nacionais como internacionais, podem afetar os rumos da empresa, sem que ela possa ter qualquer influência sobre essas decisões.
  • Economia: da mesma forma, tarifas de importação, taxas de juros e de câmbio, aumentos ou diminuição de impostos são fatores econômicos sobre os quais a empresa não tem como interferir.
  • Sociais: o comportamento das pessoas, os modismos, a mudança da pirâmide etária da população e outros fatores culturais como estes também afetam a empresa de uma forma que ela não pode influenciar sobre eles.
  • Tecnológicos: o surgimento de novas tecnologias e a obsolência de outras trará consequências sobre diversos negócios e estes terão que se adaptar a isso da melhor forma possível.
  • Ambientais: as variações climáticas, desastres naturais, o aquecimento global e outros fatores semelhantes são incontroláveis e até imprevisíveis.
  • Legais: novas legislações que alterem a maneira da empresa trabalhar, a obrigatoriedade de tirar novas licenças, aumentos salariais em função de leis, regulamentação sobre descarte de desejos ou recolhimento de embalagens, todo este tipo de determinação legal pode ter fortes consequências sobre uma organização.

Mas mesmo sem controle sobre estes elementos, os administradores da empresa devem analisá-los em busca de quais deles trazem um cenário favorável para a empresa, caracterizando-se como oportunidades, e quais deles se mostram uma ameça para o negócio.

Assim, para usarmos nosso exemplo da fábrica de sucos, um aumento de tarifas de importação pode ser uma oportunidade, pois vai enfraquecer concorrentes internacionais, por outro lado, uma geada nas plantações de seus fornecedores pode encarecer o preço de suas matérias primas.

Veja agora como comparar oportunidades e ameaças com forças e fraquezas para determinar os objetivos e metas de uma empresa.

Veja mais: Aprenda a traçar suas metas profissionais em 5 etapas

Definindo metas e objetivos de uma empresa

Se você definiu que a geada é uma ameça para sua negócio de sucos (novamente usando nosso exemplo), é preciso definir objetivos e metas para que suas forças combatam esse ameça e para evitar que suas fraquezas as potencializem.

Assim, dado que os preços dos sucos vão subir pela falta de matéria prima causada pela geada (ameaça) e os sucos importados vão aumentar de preço também (devido a mudança de impostos de importação, o que é uma oportunidade), apostar no sabor superior  de seus sucos (uma força) e fazer uma forte campanha de marketing para divulgar isso (já que o desconhecimento de sua marca é uma fraqueza), pode definir objetivos e metas como estes:

  • Objetivo: posicionar nossa marca como de sabor superior e, com isso, mostrar ao público que vale a pena pagar mais por ela.
  • Metas: veicular 100% mais propagandas de rádio e 50% mais anúncios em revistas para atingir os consumidores e conquistar mais 15% do mercado.

Entendeu como a análise SWOT pode ajudar os administradores de um negócio a determinar os objetivos e metas de uma empresa que tarão resultados consistentes e efetivos, baseados em fatos concretos?

Por isso, sempre leve esse tipo de análise estratégica em conta antes de apontar rumos, metas e objetivos sem qualquer embasamento na realidade dos fatos e no estudo de cenários.

We Do Logos

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.