estratégia de desenvolvimento de produto

3 ferramentas fundamentais para conduzir sua estratégia de desenvolvimento de produtos

5 novembro, 2017 4:53 pm | Criado por | sem comentários | 2 semanas

As empresas buscam inovações constantemente e cada mudança no que é ofertado para os clientes pode transformar completamente a imagem da empresa e o próprio faturamento proveniente desse novo item pode ser algo relevante para o negócio.

Assim também ocorre com a oferta de um novo produto no mercado: é preciso ter certeza do retorno desse investimento, para se evitar um risco desnecessário.

Por isso, a estratégia de desenvolvimento de produto é fundamental não só para criar um novo item, mas até mesmo para fazer uma simples transformação de embalagem, ou logomarca.

É importante ressaltar que tratamos como “produto” também os serviços que possam ser ofertados. Isso é muito comum no segmento bancário, quando um banco diz que criou um novo produto ao desenvolver um novo modelo de tarifas para uma conta corrente diferenciada, ou novos benefícios em um cartão de crédito.

Assim, se uma empresa que fornece serviços de limpeza residencial por meio de uma plataforma online – fazendo a conexão entre os profissionais e os clientes -, decidir alterar a forma como realiza esses procedimentos ou incluir um novo tipo de atendimento – realizar pequenos reparos e reformas, por exemplo – ela também precisará de uma estratégia de desenvolvimento de produto.

Nesta postagem, você vai conhecer alguns dos modelos mais comuns e ferramentas usadas em estratégias de desenvolvimento de produtos.

Saiba mais: Desenvolvimento de novos produtos: o que é e qual a sua função?

3 ferramentas fundamentais para sua estratégia de desenvolvimento de produto

Seguindo algumas fórmulas básicas, é possível identificar o atual cenário de seu empreendimento para iniciar uma estratégia de desenvolvimento de produto mais assertiva e satisfatória, aumentando as chances de que o novo item seja bem aceito no mercado e renda bons frutos para a empresa.

Selecionamos duas das mais usadas abordagens usadas na hora de criar novos produtos, conheça cada uma delas e use em sua empresa.

Ciclo de Vida do Produto

O Ciclo de Vida do Produto é a parte da estratégia de desenvolvimento de produtos desenvolvida para auxiliar no balanceamento dos investimentos em seu negócio e as entradas previstas.

Ao identificar as Fases do Ciclo de Vida do Produto, torna-se mais assertivo definir as principais estratégias para alcançar seus objetivos, desde de a fase de lançamento até um momento futuro, em que o produto já deu todo lucro que poderia dar para a empresa e será descontinuado, eventualmente.

Esse ciclo se divide em quatro fases:

  • Introdução: que compreende ao período de iniciação do produto no mercado, o que corresponde a altos investimentos em ações de marketing e pouco retorno.
  • Crescimento: com o aumento das vendas, deve-se providenciar o aumento dos investimentos também, para se potencializar esta fase ao máximo.
  • Maturidade: Ao alcançar a maturidade, o produto já é conhecido pelo público-alvo, os investimentos tendem a diminuir e a entrada de caixa se mantém estável. É a melhor fase!
  • Declínio: O produto que entra nesta fase pode precisar ser reformulado ou sua produção descontinuada.

Um dos principais motivos que levam as empresas a inovar é evitar o declínio dos itens que produz ou serviços que fornecem.

Para isso, a estratégia de desenvolvimento de produto deve contemplar quais seriam as possibilidades de fracasso de uma nova ideia e como evitá-las. Uma das maneira mais eficientes de como desenvolver produtos inovadores é testando suas ideias com pesquisas anteriores ao lançamento.

Veja também: Marketing de produto, marcas cabide e o cisne negro

Matriz BCG (Boston Consulting Group)

Baseada na curva de crescimento ou declínio de um produto no mercado, essa matriz determina quatro estágios na vida de um produto:

  • Estrelas: Representa o mercado em que a empresa possui alta participação, através de um produto específico. Nesse estágio o produto precisa ser mantido a todo custo, pois é muito lucrativo.
  • Vacas leiteiras: Nesse estágio, a empresa possui alta participação em um mercado que parou de crescer mas se mantém estável. É preciso acompanhar e usufruir dessa posição o maior tempo possível.
  • Interrogações: Essa etapa simboliza o momento que sua empresa começa a entrar em um mercado novo que parece promissor. É a hora de apostar e investir para transformar o produto em uma estrela e, posteriormente, em uma vaca leiteira.
  • Abacaxis ou “mascotes”: O produto entra nesse estágio quando o mercado começa a cair ou o produto já não traz a mesma arrecadação. Simboliza a necessidade de renovação ou de parar de ofertar o produto.

Veja neste quadro como estas duas ferramentas se relacionam:

estratégia de desenvolvimento de produto

Após entender estes cenários, enquanto desenha sua estratégia de desenvolvimento de produto ou de manutenção dos que estão se dando bem no mercado, identificando os pontos fortes e os que precisam ser melhorados em sua ideia, chega o momento de colocar tudo em prática.

Isso pode significar, entre outras decisões, lançar o novo produto em novos mercados ou nos atuais, ou ainda lançar um produto já existente em novos mercados.

Confira: Por que você deve trabalhar na inovação de produtos?

Matriz de ansoff

A matriz de Ansoff pode ser uma ótima aliada para tomar uma destas 4 decisões sobre seus produtos:

  • Penetração de mercado: Essa meta significa vender mais produtos existentes em um mercado no qual a empresa já atua.
  • Desenvolvimento de produto: Esse objetivo remete à empresa que pretende vender novos produtos em um mercado ao qual já está inserida.
  • Desenvolvimento ou Ampliação de Mercado: Simboliza a comercialização de produtos que já existem em novos mercados.
  • Diversificação: Significa desenvolver novos produtos para a empresa começar a atuar em um mercado também novo.

Entenda melhor como isso funciona observando este quadro esquemático:

estratégia de desenvolvimento de produto

A definição desses objetivos é feita após a realização de análises consistentes dos mercados, clientes e da própria corporação.

Para entrar em um novo mercado ou disponibilizar um novo produto, é essencial, primeiramente, garantir que a própria empresa possua força de mercado, qualidade e, até mesmo, capacidade de distribuição suficientes para dar início a uma inovação.

Veja mais: Confira como diferentes tipos de inovação podem ajudar nos negócios

Que achou destas 3 ferramentas estratégicas para o lançamento de novos produtos?

Se você precisar criar um nome, logotipo ou slogans para seus produtos, pode contar com a We Do Logos.

Veja porque mais de 35 mil clientes utilizam os serviços da We Do Logos:

We Do Logos

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.