estudo das cores na publicidade

Estudo das cores na publicidade: você sabe como aplicá-las?

14 junho, 2017 10:00 am | Criado por | sem comentários | 4 meses

Desde sempre, a cor e a humanidade tiveram uma relação íntima e em contínuo desenvolvimento progressivo. Afinal, muito antes do estudo das cores na publicidade e na propaganda, cada tom de cor já se responsabilizava em guiar as nossas emoções para um lugar completamente novo.

Acontece que esse relacionamento foi sendo nutrido, através dos séculos, explorado e pesquisado, até que chegou-se ao estudo das cores na publicidade. Ou seja: como usar as tonalidades certas para transmitir com uma subjetiva clareza o teor de sua mensagem ao público.

E, neste post, vamos entender um pouco mais a respeito desse assunto, e como as cores na publicidade e na propaganda podem influenciar nas suas emoções e, inclusive, na decisão de compra do consumidor em geral.

Aproveite para baixar este infográfico com dicas incríveis do uso das cores e da tipografia na identidade visual:

infografico-cores-e-fontes

Saiba mais: O significado das cores para logomarcas e como escolhê-las

Conheça o estudo das cores na publicidade

Cores podem mudar nosso temperamento, ou ao menos influenciar para que isso aconteça, sejam elas as famosas cores primárias ou mesmo suas combinações.

Ou você vai negar que uma placa vermelha aparecendo de repente na estrada em que você está dirigindo não te deixaria alarmado, enquanto que se uma bandeira azul for abanada em seu caminho, mesmo que repentinamente, você ficará apenas intrigado?

São situações como esta que a publicidade sabe usar muito bem para influenciar o comportamento dos consumidores.

Veja um pouco dessa história em mais detalhes, lendo nossa postagem.

Veja também: A psicologia das cores na identidade e no branding

Como o estudo das cores na publicidade pode nos impactar

Vale pensar, inicialmente, que as cores não são usufruto exclusivo da publicidade, mas uma extensão da versatilidade ampla que um simples tom quente ou escuro pode causar em nossas emoções.

É o caso das pinturas corporais de guerra, que deram o tom a capítulos passados da história, ou mesmo dos vitrais coloridos das igrejas erguidas séculos atrás. Para cada pincelada ou imersão idealizada, havia uma mensagem por trás de cada escolha.

Sem falar que as cores estão presentes em nosso dia a dia, como quando estamos vermelhos de vergonha, por exemplo, ou azuis de fome, ou ainda brancos de medo, ou verdes, de tão enjoados.

Essas frases podem estar em desuso, é verdade, mas dão o tom — literalmente — de nossas emoções por meio desse tipo de expressão coloquial.

E o estudo das cores na publicidade surgiu justamente em torno de todo esse embasamento colorido que nutrimos século após século, com o intuito de estimular, divulgar e vender, que é o principal objetivo de uma campanha publicitária.

Confira: 5 dicas para aprender a teoria das cores de formas alternativas

As cores e o consumo

Ao usar as cores com a intenção de despertar o interesse e até sensações específicas em seu público, as marcas perceberam que conseguiam dialogar com o consumidor simplesmente ao usar uma cor para destacar uma logomarca, um slogan ou mesmo a identidade visual de sua fachada.

Por isso, não se engane se algum elemento, em uma vitrine, banner ou algum outro tipo de peça publicitária, chamar a sua atenção.

Afinal, foi tudo minuciosamente elaborado para gerar esse tipo de identificação e para alimentar uma emoção que, até então, parecia adormecida.

Veja mais: Saiba qual é o significado das cores ao redor do mundo

O significado das cores na publicidade

Sejamos sinceros: quem nunca se deixou levar por um produto em determinada cor ou, ainda, sentiu simpatia por determinadas marcas apenas pelas tonalidades de seus slogans ou logotipos?

Pois é… nesses casos, podemos considerar um verdadeiro sucesso a estratégia de identidade visual da empresa, pois ela ajudou a vender um produto ou serviço e, quem sabe, deu um significativo passo em busca de enraizar a empresa inconsciente no consumidor.

E isso é feito por meio do estudo das cores na publicidade, cujos resultados definidos pata cada cor você confere rapidamente resumidos, logo abaixo:

  • Azul: transmite verdade, serenidade, remete ao frio e evoca a sensação de confiança, liberdade e harmonia.
  • Vermelho: considerada uma das cores da alegria, paixão, calor e coragem, e também sentimentos opostos, como raiva ou a sensação e perigo.
  • Roxo: a tradução do mistério, espiritualidade e, também, da tristeza; pode significar também nobreza e criatividade.
  • Verde: é a cor da esperança, da natureza, da saúde, da limpeza e também de culpa ou tédio. Também transmite fartura, juventude e crescimento, conforme o contexto.
  • Amarelo: transmite calor, alegria, ternura, bondade e prudência. É a cor do ouro, indicando riquezas e prosperidade.
  • Laranja: vitalidade e abundância, a mistura do amarelo e do vermelho também inspira o aconchego e a proximidade, além de despertar a fome.
  • Branco: a cor da paz e da pureza, também tem outros significados,como alegria, felicidade, limpeza, inocência e orgulho.
  • Preto: mistério, luto, vazio e sentimentos adversos, como os decorrentes da depressão, são os menos usados para esta cor noa publicidade, que prefere relacioná-la com o luxo e a exclusividade.

Cada cor possui um significado, portanto, e entender como cada tom pode traduzir a sua mensagem é indispensável para aprofundar os conhecimentos no estudo das cores na publicidade e da melhor maneira de impactar o seu público-alvo.

Para saber mais sobre este assunto, baixe mais este infográfico com curiosidades sobre as cores e como elas nos afetam:

Veja também: Destaque seu comércio com as cores ideais para restaurante

Agora, caso queira saber mais a respeito desse assunto, convidamos você a conferir esta série de postagens especiais sobre cada cor especificamente:

We Do Logos

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.