quanto custa um site

Aprenda a identificar quanto custa um site para sua empresa

21 setembro, 2016 10:41 pm | Criado por | sem comentários | 11 meses

A revolução digital que estamos vivendo não é uma tendência, é um marco. Até por isso, quem ainda não estava inserido no universo virtual está correndo atrás do tempo perdido. O mesmo vale para os seus respectivos comércios.

Mas, com o interesse tardio, vem a dúvida: quanto custa para fazer um site?

Bom, embora pareça um produto como qualquer outro, um site conta com muitas particularidades, e que vão variar de acordo com as preferências e exigências de cada cliente.

Não se preocupe, entretanto: ao terminar a leitura deste post, você saberá quanto custa um site. Confira!

como-um-site-pode-revolucionar-seu-negocio

Saiba mais: Como criar layout para site unindo beleza e usabilidade

Quanto custa um site?

Quanto custa um Bolo? Depende: qual a cobertura, o recheio, quantas camadas vai ter? Para quantas pessoas? Precisa ser confeitado?

Da mesma forma que o bolo, o preço do site vai depender das especificações definidas para ele, dê um olhada em quanto pode ficar essa conta…

Você sabe o que quer do seu site?

Hoje em dia, pouquíssimos sites são iguais — exceto por aqueles com uma proposta gratuita, em que oferecem interfaces idênticas. Isso significa que, quem busca por um site profissional, também procura transferir todo o DNA de sua empresa para a sua página virtual, correto?

Dessa maneira, é variável a resposta para quem deseja saber quanto custa para fazer um site.

Por exemplo: um cliente pode querer um chat para atendimento on-line no seu próprio site. E, outros não. Tudo se resume às especificações passadas para quem trabalha com desenvolvimento de sites. Por isso não existe um preço “tabelado”, por assim dizer.

É preciso, portanto, saber o que você quer do seu site. Este é o primeiro passo, pois, a partir dele, você começa a tracejar os seus objetivos e consegue mensurar um valor aproximado.

Por isso, pergunte-se:

  1. Quem é o seu público?
  2. Como serão feitas as atualizações do seu site (e por quem?)
  3. O que é fundamental e o que pode ser atualizado com o tempo?

Três perguntas rápidas, e que ajudam você a compreender melhor as necessidades que você possui, para adquirir um site, e a média de quanto custa um site a partir de tais especificações.

Veja também: Veja como gerar leads produzindo conteúdos para o seu site

O que considerar na criação de sites?

Ao saber o que você deseja do seu site, você tem um direcionamento mais preciso ao contratar um desenvolvedor.

Abaixo, relacionamos alguns elementos que podem — ou não — fazer parte do seu projeto de site:

  • Ele terá uma loja virtual?
  • O site terá um blog linkado a ele?
  • Outros formulários?
  • Contará com agenda de eventos?
  • Um mecanismo de busca interna, com filtros?
  • Terá otimização para SEO?

Algo frequentemente esquecido quando se faz um site, porém é vital para que você não sofra qualquer tipo de processo no futuro é ter uma política de privacidade bem clara. Muitas empresas tem campanhas de marketing negadas pelo Google ou mesmo tem problemas com usuários por não terem essa política de maneira clara.

Entenda que responder sim para cada uma dessas questões encarece ainda mais o seu produto final. O que nos faz voltar à pergunta que fizemos no tópico anterior: você sabe o que quer do seu site?

Para além dos opcionais, você deve entender que alguns elementos básicos devem constar no orçamento de quanto custa para fazer um site, como o planejamento, os profissionais envolvidos em cada etapa, a linguagem de programação utilizada, a hospedagem e até mesmo a já citada atualização — e as ocasionais manutenções.

Isso sem falar no fundamental logotipo e o resto de toda a identidade visual e design do site, bem como o layout de cada página (e o número de páginas). Tudo isso são serviços que, um a um, vão se acumulando no valor final para quem quer saber quanto custa para fazer um site.

Veja mais: Qual o momento ideal para investir no redesign do seu site?

Existe uma média de valor aproximada?

Independentemente do trabalho ter sido orçado por uma empresa contratada ou por um profissional autônomo (o popular freelancer), a média de preço de site pode ficar em um gritante abismo que vai de R$ 500 a R$ 15 mil.

Ou seja: tudo depende do profissional (ou da empresa) encontrado, e também do que você deseja para compor o seu site.

A nossa sugestão é seguir este pequeno passo a passo na hora de negociar preços:

  1. Anote tudo o que você queira para o seu site. Tudo mesmo.
  2. Verifique diversas outras páginas — inclusive, as da concorrência — e veja o que pode funcionar na realidade do seu negócio.
  3. Em seguida, pergunte quanto custa um site para profissionais autônomos e para empresas especializadas também.
  4. Peça orçamentos (3 de cada, por exemplo) e compare os valores.
  5. Os que mais estiverem no seu agrado, sente para aprofundar a conversa.
  6. Comece removendo o que não for essencial nos primeiros meses de operação do seu site (mas deixe a ideia guardada) e atualize os valores dessa maneira.

Confira: Como criar o nome correto para o domínio do seu site

Assim, seguindo o nosso roteiro, pouco a pouco você vai estabelecendo uma média entre o que você deseja e o que você consegue pagar naquele momento.

Afinal de contas, um site é transitório: pode ser adaptado continuamente de acordo com as suas necessidades e desejos. Por isso, invista no fundamental, a princípio, e desenvolva-o à medida que a sua presença digital também vai crescendo.

Curioso para saber agora mesmo o valor do eu investimento? Use esta ferramenta que criamos especialmente para isso, você responde a algumas preguntas específicas e logo fica sabendo quanto pode custar o seu site. Experimente agora mesmo:

ferr23-ferramentas-quanto-custa-site

Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre o quanto pode custar o seu site, entre em contato a gente! Teremos o maior prazer em atender a todas as suas perguntas e solicitações!

We Do Logos

Sobre o autor dessa postagem

Gustavo Mota

Fundador e CEO da We Do Logos, 35 anos, formado em design gráfico, pós-graduado em Marketing pelo IBMEC. Trabalha com internet há 17 anos. Possui larga experiência em soluções online e fundou uma das primeiras plataformas brasileiras de crowdsourcing, a We Do Logos. Apaixonado por empreendedorismo, é professor de inovação e planejamento, é mentor de startups, consultor do Sebrae/RJ, colaborador e palestrante da Endeavor além de mentor e palestrante de diversos eventos em todo Brasil como o Startup Weekend, Semana Global de Empreendedorismo, Semana do Micro Empreendedor e Feira de Empreendedorismo.