Foco nesse e-mail! | Bate papo com Atendimento #4

Olá, tudo bem?

Meu nome é João Cardoso, sou Head do Time de Experiência da We Do Logos, e hoje vamos conversar um pouco sobre foco.

Afinal, o que é foco? Um especialista poderia definir o foco como o “ato de se concentrar em algo ou alguma coisa”. Apesar de ser uma definição um pouco tediosa, existe uma certa verdade nessa afirmação. Para se concentrar, você deve direcionar sua mente para algo ou alguma coisa. No singular. E, ao invés de aceitarmos a verdade de que devemos escolher apenas uma tarefa por vez para focar, preferimos nos convencer de que sermos multitarefas é a melhor opção: continuamos sempre arrumando novas coisas pra fazer antes de finalizarmos o que ainda está pendente.

E é aí que está o problema.

Tecnicamente, somos capazes de fazer duas coisas ao mesmo tempo. É extremamente possível que eu consiga escutar uma música enquanto digito um texto, ou então responder um e-mail enquanto falo com um amigo do lado. Porém, é impossível se concentrar em duas tarefas ao mesmo tempo. Ou você está prestando atenção no que digita, ou está cantarolando a música que sai de seu fone. Por menor que seja o instante, você se foca em um ou em outro.

Você já foi interrompido por alguém enquanto escrevia um e-mail? Quando a pessoa vai embora e a conversa acaba, alguns momentos são necessários para que você, lentamente, se lembre do que estava escrevendo e o raciocínio se complete. Mas como evitar isso? Como realizar ações realmente focado e não se deixar levar por qualquer outra distração que apareça?

Você pode começar medindo seu progresso.

Querendo você ou não, seu cérebro gosta de saber se você está fazendo progresso em relação às suas tarefas, e é literalmente impossível saber isso sem ter algum tipo de medida quantitativa. Todos nós temos áreas de importância ou atitudes recorrentes em nossa vida que não medimos. Em partes, isso chega a ser vergonhoso, visto que somente as coisas que medimos são as coisas que melhoramos. É apenas através de números e metas que temos a certeza se estamos efetivamente melhorando ou piorando em relação a qualquer âmbito de nossas vidas.

Quando comecei a determinar o hábito de ler 20 páginas de algum livro por dia, comecei a ler mais livros. Quando determinei a quantidade de textos que escreveria por semana, superei essa meta facilmente. Até mesmo quando defini a quantidade de calorias que comeria por dia, consegui emagrecer.

As tarefas que medi foram as únicas que consegui me manter focado. De todas, sem exagero!

Mesmo que você goste da ideia de aplicar esse estilo de concentração em sua rotina, começar a medir suas ações e determinar metas de tarefas, a implementação dela pode ser um processo difícil. Para desenvolver seu foco, separei as três principais ações que tomei para dar o pontapé inicial nesse novo “estilo de vida”:

Escolhi uma tarefa-chefe.

Por dia, escolho uma (e apenas UMA) tarefa principal em um dia de trabalho. Por mais que outras muitas tarefas estejam dentro do meu dia, minha “tarefa-chefe” é algo que deverá ser feito de qualquer forma, sem nenhum tipo de exceção. Por causa da importância dessa tarefa, consigo organizar melhor todo o resto do meu dia em volta dela, determinando horários específicos para cada uma das diversas outras coisas que devo fazer.

Nada de e-mail antes do meio-dia.

Evitar abrir o e-mail pela manhã fez com que eu fosse capaz de organizar o começo do meu dia de acordo com a minha agenda ao invés da agenda de outras pessoas. Por mais que para algumas pessoas isso seja virtualmente impossível, “meio-dia” não é uma data obrigatória para que você possa abrir seu e-mail. Que tal às 10h? Que tal às 9h? No final das contas, a hora exata não importa, visto que o ponto principal é ter algum tempo pela manhã para organizar seus pensamentos sem permitir que o resto do mundo dite eles para você.

Reservei minha energia para mim.

Foco depende de energia. É impossível se focar se você está cansado, entediado ou sonolento. Por isso, reserve sua melhor hora do dia para fazer suas tarefas mais importantes. Particularmente, o período da manhã é onde estou mais focado, criativo e até mesmo quando escrevo melhor. Nada melhor do que utilizar esse período para fazer as coisas que são mais importantes e mais agradáveis da minha lista de tarefas. Durante a tarde, reservo o tempo para ligações, e-mails e relatórios. Transformar energia em concentração melhorou minha produtividade em mais de 60% (viu, é importante medir!).

E aí, gostou das dicas? Você usa alguma em específico na sua rotina? E, principalmente, conseguiu manter o foco nesse texto para ler até o final? Conta pra gente!

João Cardoso
Head de Experiência
We Do Logos

PS: Se você realmente gostou desse conteúdo, fica meu convite para nos acompanhar nas redes sociais.
Telefone para contato: 0800 8871 571 (gratuito para fixo e celular)