A evolução tipográfica dos velocímetros

Enquanto uns  reparam no modelo do carro como um todo, o designer Christian Annyas atentou-se a um detalhe para o seu projeto, o velocímetro. Ou melhor, a evolução tipográfica dos painéis de vários carros da Chevrolet, entre 1941 e 2011.

 
Todos foram catalogados para o seu projeto que levanta a questão sobre o digital e o analógico e aproveitando os 100 anos damarca, o designer utilizou os painéis da Chevrolet para sua pesquisa.

 
Veja a análise de Christian Annyas sobre o projeto:

 

“O ano de 2011 marca o 100 º aniversário da Chevrolet. Durante esses 100 anos a empresa desenvolveu mais de cem tipos diferentes de carros, vans e caminhões. Todos têm algo em comum: velocímetros.
Velocímetros são aqueles itens para os quais você olha milhares de vezes durante a sua vida, sem nunca realmente perceber. Você percebe a velocidade, mas não percebe que alguém projetou o objeto em que ela é exibida. Nem que a empresa fez uma pesquisa sobre a legibilidade de fontes, o tamanho certo dos números e o espaço entre eles.
O Design dos indicadores de velocidade não mudou muito ao longo das décadas. Recentemente, no entanto, há uma tendência ao uso de medidores digitais. Eles deveriam parecer modernos, mas ainda parecem primitivos.
É fácil para um motorista se acostumar com um ponteiro que passa sobre números que estão em posições fixas. Uma rápida olhada é necessária para compreender o valor que ele representa. Com os paineis digitais é diferente. O valor muda constantemente durante a condução. Alguns caracteres tipográficos são muito semelhantes a outros (por exemplo, 6 e 8), o que torna mais difícil descobrir se você vai levar uma multa ou não.”

 

 

CHEVROLET Sonic (2011)

 

CHEVROLET Cruze (2008)

 

CHEVROLET Silverado (1985)

 

CHEVROLET Camaro (1967)

 

CHEVROLET Impala (1959)

 

CHEVROLET Bel Air (1956)


Veja o projeto completo