Como você inspira sua equipe?

Aumento de salário, prêmios, viagens e bonificações são as primeiras palavras que vêm a cabeça quando se trata de motivar os funcionários, isso funciona, claro! Porém existem outros métodos, às vezes, mais eficientes para incentivar seus colaboradores. Veja alguns exemplos de empreendedores que desenvolveram idéias para tornar o dia de trabalho mais leve e produtivo.

 

Programa mini-CEO

Sempre que um empregado sugere algo inovador, Brian Halligan, CEO da Hubspot, empresa de marketing e sftware de Boston, o tira de seu cotidiano para se tornar um mini-CEO. Ou seja, o funcionário tem a liberdade e tempo para chefia e desenvolver sua própria ideia. “Parte da criação desse ambiente de inovação é tornar a organização descentralizada e sem hierarquias”, afirma Halligan. “Nós queremos empoderar nossas pessoas-chave” completa.

 

 

Diversão como modelo de negócio

Para Paul Spiegelman, CEO da Beryl Companies “Quando diversão é uma parte do trabalho diário, os empregados enxergam uns aos outros como pessoas de verdade”. A partir desse pensamento o empresário criou o Departamento de Pessoas Bacanas e da Diversão, o Dia do Pijama e da data dos anos 70. “Sei que essas ideias não são praticáveis por todas as empresas. Mas a ideia é fazer algo realmente divertido, mesmo que seja uma iniciativa muito simples” explica.

 

 

Distribua a empresa a seus empregados

“Dar a empresa aos empregados” é uma estratégia chamada Employee Stock Ownership Program (em uma tradução aproximada seria o Programa de Ações Distribuídas a Funcionários). “Tantas pessoas trabalham aqui há tantos anos. Para os mais antigos, receber essas ações é garantir uma boa aposentadoria. E, para a equipe em geral, o programa faz com que suas carreiras tenham mais sentido.” Conta o fundador da Swabones Worldwide, Foss Miller, que adotou a estratégia no fim de 2010.

 

 

Faça algo atípico

Eric Ryan, fundador da Method, uma indústria de produtos de limpeza com sede em São Francisco, acredita que usar um pouco de extravagância a cultura corporativa inspira os funcionários a se tornarem mais produtivos. “Essas maluquices lembram a todos que eles trabalham em um lugar realmente especial – e imprevisível.” Diz o empresário.
Seguindo esse pensamento, Eric vestiu-se de esquilo, pôs para tocar a todo volume a música Eye of The Tiger nos elevadores e organizou um flash mob de dança – mobilizações instantâneas combinadas por meio de redes sociais – dentro do escritório.

 

 

Escreva cartas

Quando o general da reserva Stanley McChrystal era comandante das forças norte-americanas e da OTAN no Afeganistão, chefiava mais de 150 mil pessoas. Stanley enviou 2 mil notas de agradecimento a suas tropas a cada ano. “Eu costumava escrever essas cartas pessoalmente”, conta. As cartas eram guardadas como troféu pelos soldados ou exibidas com destaque nas paredes dos bunkers.

 

 

Hora da soneca

Várias companhias, das menores as gigantes, têm criado suas salas de sono. São espaços onde os empregados podem relaxar e dormir, mesmo que por alguns minutos.
A Pontiflex, loja de acessórios e aparelhos celulares, possui 60 funcionários e para ajudá-los a recarregarem as baterias converteu uma sala antiga sala de servidores em uma área de cochilos. “Eu sou um grande entusiasta da soneca. Ajuda as pessoas a recarregar e, pessoalmente, me auxilia a pensar de modo mais criativo.” Fala Zephrin Lasker, CEO da empresa.

 

 

Procure um mentor

O mentor da Allen & Gerritsen, agência de branding e marketing de Watertown, é Eric Leist ,um jovem de 22 anos especialista em tecnologia estratégica. Para a empresa, a prática ajuda a equipe a conhecer outras áreas e incentiva as pessoas a pensar fora de seus modelos tradicionais. Até o CEO da empresa, Andrew Graff, tem um mentor.

 

 

(via)