Perfil Designer – DimasDesigner

 

 

 

 

 

 

 

 

[abaixo]

Nome: Glaucio Dimas Silva

Cidade: Campo Grande

Estado: Mato Grosso Do Sul

Apelido no WDL: DimasDesigner

 

Resuma-se em uma frase: “O que for possível imaginar é também possível criar.”

 

We do Logos – Como você começou no design?

Glaucio Silva. Design… Essa é uma longa historia. Tenho formação acadêmica em Artes Visuais pelo IESF- FUNLEC e atualmente sirvo ao Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso do Sul. Costumo dizer que sou designer por profissão e bombeiro nas horas vagas, rss. O que não verdade, pois respeito muito as duas profissões.

Eu sempre gostei de desenho tradicional em 2D, especialmente HQs e os desenhos animados da Disney. No fim de 2001, tive o primeiro acesso ao computador e já de cara enfrentei um job para uma agência de publicidade. Um colega mostrou uma arte que eu havia criado para o dono da agência, que pediu para eu comparecer ao local.

Eu fui e ele disse o seguinte: “olha temos uma campanha do governo aqui sobre vacinação. Desenha o Zé Gotinha aí e o mapa do estado bem legal, traga em vetor e me entregue amanhã cedo. Estamos fechando o contrato e precisamos desse desenho.”
Pronto! Menos de 24h para aprender o que era vetor e como fazê-lo. Foram tempos difíceis, pois eu não tinha um PC e o mundo era movido a disquetes, rsss.

Se consegui? Bom o resultado foi esse:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[abaixo]

Enfim… Penso ter sido isso um bom começo.

 

WDL – Onde você busca inspiração?

GS. Nossa! Antes que o advento da internet se tornasse mais acessível, eu e um amigo ilustrador, o Alison, ambos apaixonados por desenho, vivíamos dentro de bancas de revistas e bibliotecas a procura de informações que pudessem tirar nossas duvidas. Qualquer técnica de algum artista novo nas HQs ou artigo de revista com um desenho legal servia de motivo para uma nova pesquisa (interminável) e também com inspiração.

Hoje, tenho uma visão mais apurada para selecionar minhas fontes de referência, pois o conhecimento empírico me ajudou muito. Mas, só entendi como as coisas realmente funcionavam quando parei de ignorar as técnicas e as novas tecnologias que são empregadas no desenvolvimento dos projetos de design, principalmente de identidade visual. Sempre procuro estar antenado nas produções artísticas de designers de alto nível, estudar e ler muito a respeito, pois acredito que são ótimas fontes para inspiração.

 

WDL – O que levou você ao We do Logos?

GS. Eu estava pesquisando para encontrar o site de um colega ilustrador e vi a propaganda do WDL. Achei interessante, pois até então eu achava que a criação de logomarcas e identidade visual estava restrita a agências e gráfica, por exemplo. Eu, sinceramente, não imaginava que ofereciam esse serviço pela internet. Gostei do que vi, me inscrevi e estou aqui, rsss.

 

WDL – O que os designers devem fazer para ter sucesso no We do Logos?

GS. O sucesso deve ser encarado como um processo e como estamos lidando com competição, ele está intrinsecamente ligado a vencer. Algumas regras são básicas como:
Uma boa apresentação e organização de seus projetos;

Educação e atenção para conduzir o cliente à consolidação do projeto e para que ele fique satisfeito;

Respeitar a escolha e a decisão do cliente;

Respeito e ética com os outros colegas e com os trabalhos deles;

Verificar se suas habilitações correspondem às exigências do projeto;

Não gerenciar duzentos projetos ao mesmo tempo;

E procurar ter bom humor e se divertir, sem encarar nossa “arena criativa” como um campo de batalha.

Daí por diante é ter a percepção adequada para traduzir em forma de imagens aquilo que o cliente e seu empreendimento precisam e vieram buscar.

 

WDL – O que você mais gosta em ser designer?

GS. Quando você faz aquilo que gosta, certamente tudo fica mais fácil e os obstáculos nunca assumem a forma instransponível. Acho que uma das melhores sensações no design é quando você consegue trazer à existência uma ideia e ela é útil, funcional e as pessoas entendem o que você quis transmitir. Isso é muito bom! Eu particularmente gosto de estar envolvido no processo de criação, no manuseio de softwares2D/3D, planejar, analisar, observar e tentar encontrar soluções para os desafios. Tudo isso é muito bom!

 

WDL – Por que você gosta da We do Logos?

GS. Gosto de estar envolvido com esta comunidade porque ela me propiciou sair do anonimato e ter meu trabalho conhecido em nível nacional, além de conhecer muitas outras pessoas, ver e admirar seus trabalhos e, também, por ser uma fonte bacaninha de grana extra, rss.

 

WDL – Quais são os 5 projetos criados por você no We do Logos que o resultado mais lhe agradou?

GS. Certamente todos que fui consagrado vencedor me agradaram, pois me empenhei ao máximo na execução dos mesmos. Mais dentre muitos projetos apresentados alguns os que estão aqui abaixo são:

 

Este projeto me agradou pela oportunidade de apresentar um conceito diferente ao tradicional, no qual busquei encontrar uma ligação do nome ao produto (uaná significa vagalume).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[abaixo]

 

O desafio deste projeto era o de construir um carrinho como mascote, algo que eu nunca tinha feito antes. Uma experiência interessante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[abaixo]

 

Este projeto eu gostei, pois tentei fazer uma mascote cachorrinho bem minimalista e bonitinho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[abaixo]

 

O projeto Tionino foi bem legal, pois o cliente se entusiasmou muito com a proposta e isso fez com que o projeto final ficasse bacana e satisfatório.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[abaixo]

 

Aqui um projeto bem complexo (A Loja Maluca) algo que eu nunca tinha feito transformar uma loja em mascote. Gostei do resultado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[abaixo]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *