Saiba tudo sobre AI!

Se você é designer, já deve saber que o Illustrator é o software de criação e edição de imagens vetoriais mais usado no mundo. De designers gráficos a produtores de moda, web designers e editores, decoradores e ilustradores, este software é o preferido no mundo por sua infindável gama de recursos gráficos, extraordinária usabilidade e, claro, sua estabilidade e compatibilidade com demais programas da Suíte Adobe. E, ainda que no Brasil ele não seja tão popular como o Corel Draw, por exemplo, existe uma tendência internacional para a escolha deste programa.

Pra quê serve?

A tecnologia do software possibilitou o desenho vetorial integrando equações matemáticas para as linhas e curvas, também conhecidas como Curvas de Bézier. E é justamente esta tecnologia que possibilita a mágica do desenho vetorial que, ao contrário da imagem em Bitmaps, permite a ampliação da figura ilimitadamente sem que haja perda de qualidade. Isso significa, em última instância, que a mesma arte usada para imprimir um cartão de visitas pode ser ampliada para construir um outdoor sem que haja a mínima perda de qualidade.

 

Vetor X Bitmaps

A imagem em Bitmap nada mais é do que uma figura formada por pixels, pequenos quadrados que juntos a compõem. Se você observar bem de perto a imagem da sua TV, poderá visualizar estes pixels. O fato é que, por ser formada por um número limitado de pixels, a imagem Bitmap perde sua nitidez e qualidade quando ampliada, já que cada pixel é ampliado ao ponto de tornar-se visível a olho nu, o que dá um aspecto borrado à figura, tirando sua nitidez.

Já imagem vetorial é formada a partir de equações matemáticas, de forma que cada traço seu carrega uma fórmula matemática que permite sua infinita ampliação mantendo a mesma qualidade. A possibilidade de criar desenhos vetoriais representa um avanço extraordinário para o design, uma vez que os desenhos podem ser ampliados e reduzidos, desmembrados e alterados a critério do profissional. Como surgiu?

Primeiro produto da Adobe Systems, o Illustrator teve sua versão inicial no ano de 1986 e veio para revolucionar a publicação digital. Seu primeiro modelo contava com uma plataforma desenvolvida exclusivamente para rodar em computadores Macintosch, mas que logo depois foi adaptada também para a plataforma Windows. Como forma de representar esta tecnologia capaz de criar e editar linhas e curvas fluidas e perfeitas, a imagem escolhida para o logo da marca nesta época foi a da deusa Vênus, na representação de Botticelli.

No ano de 2003, com o lançamento da Creative Suite pela Adobe, um pacote com todos os bem-sucedidos softwares da empresa, entre eles o Photoshop, Fireworks e Dreamweaver, a Illustrator teve seu logo redesenhado com novas formas inspiradas na natureza, trazendo temas florais para sua marca. O lançamento da Suite reforçou ainda mais a preferência dos designers internacionais pelo programa, já que era mais simples trabalhar com os arquivos AI nos demais softwares do pacote, proporcionando a união de recursos únicos, abrindo as portas também para as criações de 3D. Atualmente em sua sexta versão, o pacote segue inovando seus recursos em edições cada vez mais elaboradas.

 

Recursos básicos: comece por aqui!

Utilizando a Tela de boas vindas

Ao abrir os Illustrator, uma tela de boas vindas será apresentada. Caso não queira ver esta tela, você pode desabilitá-la clicando em “Don’t Show Again”, no canto inferior esquerdo da tela. Porém, esta é uma ferramenta extremamente útil, já que te mostra os últimos trabalhos realizados em “Open a Recent Item” e te dá algumas das principais opções de formatos de documentos que podem ser abertos, com configurações pré-fabricadas. Entre elas “Documento para Impressão” (ideal para impressão em offset, vem em perfil de cores CMYK, próprio para valorização de cores a serem impressas, com tamanho da folha medido em centímetros), “Documento WEB” (ideal para artes para sites, geralmente vem em perfil de cores RGB e tamanho medido em pixels), entre outros.

Depois de escolher o formato preferido, lembre-se de nomeá-lo na caixa de diálogo que aparecerá na sequência, bem como escolher o tamanho do papel (A4 / A3/ Letter,etc). Como está usando um formato pré-configurado, verá que as configurações já estarão definidas de acordo com a finalidade do arquivo, mas você pode mudar qualquer configuração, inclusive na orientação da página (Retrato/Paisagem) clicando em ADVANCED.

Documento aberto, mãos à massa!

 

Ferramentas de Criação

Para criar um desenho vetorizado, o Illustrator oferece ferramentas incríveis. Com a ferramenta Caneta (Pen) é possível desenhar linhas perfeitas e editáveis, podendo ser facilmente convertidas em curvas. Lembre-se que a linha só aparecerá por inteiro depois que você clicar num ponto de partida e a arrastar o mouse até o ponto de chegada. Clicando ao longo da linha traçada é possível incluir Pontos de Ancoragem para a conversão da linha em curvas.

É possível também utilizar as ferramenta Lápis criar desenhos à mão livre, como se estivesse desenhando em papel. Depois de traçado o desenho, as linhas podem ser editadas através dos Pontos de Ancoragem, conquistando contornos mais precisos.

O Illustrator oferece também ferramentas para criação de figuras geométricas, entre elas a Ferramenta Retângulo, Elipse, Polígono e Estrela. Para usá-las, basta escolher a ferramenta e clicar sob a tela no ponto de início do desenho e arrastar o mouse, soltando no ponto que desejar concluir a forma. Todas as figuras geométricas podem ser editadas e sobrepostas, possibilitando uma série de desenhos avançados.

 

Trabalho em Camadas

A possibilidade de trabalhar em camadas (layers) permite que cada etapa do processo de criação e edição seja salva e, caso necessário, editada sem ter que desfazer todas as etapas posteriores. O trabalho com a sobreposição das camadas também facilita a criação, uma vez que as partes do desenho podem ser desmembradas e trabalhadas individualmente. Os arquivos podem ser salvos nos mais diversos formatos, inclusive PSD (ideal para trabalhar no Photoshop) e os clássicos JPG e PDF.

 

Gostou do texto? Com ele, o AI não terá mais mistério pra você! Se tiver ficado alguma dúvida ou tenha sugestões para enriquecer esse artigo, compartilhe-as conosco através dos comentários! Acompanhe nosso blog para mais dicas sobre AI!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *