Aquecimento no setor de beleza!

Bom momento para quem deseja abrir um negócio na área de beleza. Segundo pesquisa encomendada pela Anabel – Associação Nacional do Comércio de Artigos de Higiene Pessoal e Beleza, tanto para serviços como para o varejo o setor está aquecido. O numero de salões de beleza subiu 78% entre o ano de 2005 e 2010, já o varejo, 26% desde 2007.

 

Os estudos realizados pelo instituto Data Popular compararam os gastos entre as classes de trabalhadores. O resultado mostrou que em 2010 as mulheres da classe C investiram 19,7 bilhões no setor, já as classes mais ricas 3,6 bilhões no mesmo período.

 

“Considerando a menor escala de operações, o menor valor de investimento e o acesso relativamente facilitado à tecnologia, é natural que exista um maior número de oportunidades nas áreas de comércio, como de perfumarias, e serviços, como cabeleireiros”, diz o diretor-superintendente do Sebrae/SP, Bruno Caetano.“Os empreendedores individuais do segmento de beleza e estética estão entre os que mais têm formalizado seus negócios. Salões de beleza e afins representam 7,5% das formalizações entre julho de 2009 e fevereiro de 2011”, completa.

 

Para investir na área é preciso realizar um estudo para conhecer o mercado e ver qual dos segmentos melhor se enquadra a sua situação. “Basicamente, o que recomendamos é que, primeiramente, seja feito um plano de negócio e converse com profissionais da área. Saiba qual público atender, a necessidade de capital de giro e o retorno do investimento”, explica o diretor-superintendente.

 

Outro canal promissor no ramo de beleza é o comércio online, segundo levantamento feito pelo MercadoLivre, as vendas de produtos relacionados a saúde e beleza cresceram 47% no primeiro semestre deste ano. “Esta categoria cresceu 50% a mais que a média de outras. O consumo feminino vem se estabelecendo no comércio eletrônico e os vendedores identificaram isso”, justifica Helisson Lemos, diretor-geral das operações do MercadoLivre.com para o Brasil.

 

 

 

Fonte: Exame