Tipografia: como acertar e quais os melhores sites de download

Escolher os tipos de fontes que você vai usar em um trabalho pode ser algo complicado, tendo em vista o número de opções disponíveis. Para eleger o que é mais adequado, o designer precisa prestar atenção na estética e na complexidade de um tipo. É preciso ter em mente um monte de regras e também seguir um pouco da sua intuição.

Mas afinal, existe algum truque para acertar na escolha mais facilmente? Bom, separamos algumas dicas:

1. Tenha um objetivo

Antes de escolher a tipografia é preciso ter bem definido do que você quer passar para o público com o seu texto. Ter um objetivo claro é o que vai te guiar neste processo de escolha de um tipo. Isso porque a fonte escolhida deve se adequar a mensagem que você quer passar, e ainda combinar estética e legibilidade.

2. Preste atenção na legibilidade

Por falar nisso, vale lembrar que fontes decorativas têm menor legibilidade porque são feitas, geralmente, para serem usadas em pequenas palavras, ou frases. Então, se você vai escrever grandes blocos de texto, para melhor legibilidade, esqueça este tipo de fontes.

3. Planeje a hierarquia

Um bom truque para acertar na escolha da fonte é planejar previamente o conteúdo e a hierarquia tipográfica que ele terá no seu design. Ou seja, defina com antecedência o peso e a relevância de cada palavra ou frase. Assim, você poderá perceber de forma mais clara quantas opções de fontes vão ser necessárias para preencher o seu trabalho (títulos, sub-titulos, destaques, citações, etc).

4. Conheça as famílias de fontes

Sabemos que tipos de fontes podem ser divididos e subdivididos em várias categorias, mas é preciso entender ao menos as principais antes de começar o seu trabalho. Para facilitar, divida as fontes em dois grandes grupos: serifadas e não serifadas, e escolha seus tipos favoritos a partir daí.

Serifadas

Consideradas uma herança da caligrafia manual, elas são conhecidas por terem traços alongados, com uma base bem marcada. São bastante usadas para transmitir a ideia de classe, sofisticação e tradição. Um subgrupo bastante conhecido de fontes serifadas é o formado por fontes transicionais e modernas.

As transicionais apareceram na metade do século 18, e as Modernas no final do mesmo século. Mais geométricas e mais elegantes, esse subgrupo é caracterizado por tipografias fortes e dinâmicas, ideais para títulos e layouts sofisticados.

  • Examplos de tipos transicionais: Times New Roman, Baskerville.
  • Examplos de tipos Modernos: Bodoni, Didot.

Sem Serifas

As primeiras letras sem serifa (sans-serif) apareceram por volta de 1820. São caracterizadas por serem bastante geométricas – muitas vezes os traços são todos com a mesma largura e frequentemente evidenciam uma espécie de regra não dita, onde “menos é mais”, e o minimalismo é inerente à concepção. Um subgrupo de fontes sem serifa é o de fontes “Geométricas”, onde a mais emblemática é a Futura –  um tipo  claro, objetivo, bastante moderno e universal. Outra fonte queridinha dos designers é a Helvetica, um tipo que combina com tudo e com a maioria dos layouts.

  • Exemplos de tipos Geométricos: Helvetica, Univers, Futura, Franklin Gothic, Gotham.

5. Use sua intuição

As dicas que compartilhamos neste artigo irão te ajudar a fazer escolhas tipográficas inteligentes, mas é importante que você também use o seu senso de estética para avaliar o que funciona ou não. Escolha alguns tipos de fonte e escreva um conjunto de palavras. Depois avalie consigo mesmo se o objetivo do seu projeto combina com os tipos que você escolheu. Se depois dessa análise, você conseguiu se convencer é porque talvez você tenha a escolha certa em mãos. Para buscar a melhor fonte, vale a pena tentar misturar tudo só para ver o que acontece.

6. Conheça bons sites para download

Para facilitar a sua vida, separamos os melhores:

Gostou das dicas? Conhece algum outro site bacana para download de fontes? Conte para gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *