Pequenos empresários querem se dedicar no ramo de petróleo e gás

Valter Braun não se deixa impressionar pela grandiosidade dos números da indústria do petróleo. Ao contrário. Disposto a entrar nesse segmento, ele participou, no auditório da Federação das pequenas Indústrias do (Findes), o seminário “Oportunidades na Cadeia Produtiva de Petróleo, Gás e Energia”. Braun acredita que o importante não é vender diretamente para a Petrobras ou outra grande petroleira, mas sim para empresas terceirizadas que prestam serviço para essas firmas.

O ramo é grande,fácil de investir e o retorno é muito grande,a quem souber esperar vou me diversificar e espandir para petróleo e gás,e áreas co-relatas.

“A minha intenção não é fornecer para Petrobras, Shell ou outra companhia. Quero entregar meus produtos para as terceirizadas, como faço para empresas que atuam na Fibria, ArcelorMittal e Vale”, planeja Braun.

Esta é a cultura que entidades e organismos ligados ao setor empresarial e instituições de ensino querem instituir entre os capixabas. Aproveitar todas as possibilidades de negócios e trabalho oferecidas pela indústria do petróleo. Para isso, é preciso qualificação e treinamento.

Técnicos do Programa Nacional da Indústria do Petróleo (Prominp) estiveram na Findes, em Vitória, para falar do novo portal de oportunidades da cadeia de suprimentos do setor de petróleo e gás.

Foi apresentado, também, o Catálogo Navipeças, pela Organização da Indústria Nacional do Petróleo (www.onip.org.br). A entidade espera reunir, até o final do ano, um catálogo, com setores da indústria naval brasileira que estão aptos a fornecer para os grandes estaleiros que construirão os navios e sondas encomendados pela Petrobras.